Bem-estar

06/03/2014 15h51

Repelentes naturais: para sua saúde e do planeta

Conheça receitas para se proteger dos mosquitos sem produtos tóxicos

Por Nosso Bem Estar

W1ZZARD/ ISTOCKPHOTO/ NBE
Mosquito repelente

Visitantes incômodos se proliferam rapidamente durante o verão

Nas noites de verão é comum recebermos a visita de pequenos intrusos, com seus zumbidos agudos que não nos deixam dormir... Tentando nos proteger dos mosquitos, muitas vezes recorremos inconscientemente a produtos químicos repletos de substâncias tóxicas, prejudiciais à nossa saúde e do planeta. Para ajudar você a encontrar soluções naturais para prevenir picadas e outros incômodos, reunimos aqui algumas dicas de repelentes caseiros, que não têm contra-indicação.

As receitas com base em essências vegetais evitam que os mosquitos suguem o sangue humano. Uma vez subnutridos, eles não conseguirão maturar os ovos nem realizar a postura, reduzindo com o tempo a sua proliferação. Isso pode se dar tanto com o cultivo de plantas que funcionam como repelentes quanto com poções que podem ser usadas como spray para a pele ou para ambientes.

O problema das loções artificiais pode ser resumido em quatro letras: DEET, a dietiltoluamida. Esse é o principal componente da maioria dos repelentes disponíveis no mercado. O DEET atua nos sensores presentes nas antenas dos pernilongos e mosquitos em geral, e faz com que eles não reconheçam o gás carbônico que é liberado pelos seres humanos na respiração. Por essa razão, eles se mantêm afastados. No entanto, pode desencadear processos alérgicos respiratórios na pele, nas mucosas e até danos hepáticos.

Na origem do problema

As condições climáticas características do verão brasileiro favorecem a reprodução dos pernilongos. O calor acelera o processo reprodutivo deles, fazendo com que as fêmeas coloquem mais ovos e com que os ovos eclodam mais rapidamente.

Além disso, as temperaturas que normalmente são constatadas pelos termômetros ao longo dessa estação são as ideais para o funcionamento do organismo dos pernilongos: de 26ºC a 28ºC. Quando se verifica temperaturas abaixo dos 18ºC, eles hibernam; acima de 42ºC, eles morrem.

Os rios poluídos facilitam a proliferação dos pernilongos. Isso porque nesses rios há uma elevadíssima concentração de matéria orgânica necessária para o desenvolvimento deles. Não atentar para focos de água parada e de vegetação alta também são atitudes que contribuem para o crescimento exponencial da população de mosquitos.

Veja agora algumas plantas que são excelentes aliadas no combate aos mosquitos.

Lavanda

Além de ser uma planta que pode perfumar ambientes internos, devido ao seu cheiro adocicado, e decorá-los com sua beleza, a lavanda ajuda a espantar mosquitos. 

Citronela

Outro excelente repelente natural contra mosquitos, principalmente os borrachudos e os pernilongos, é a citronela. Caso seja combinada com outras duas plantas repelentes naturais, a erva do gato e a cascata gerânio, o efeito se torna mais potente ainda.

Manjericão

O cheiro forte da planta afasta moscas e mosquitos.

Alecrim

Também repele os mosquitos e pode ajudar a manter gatos afastados de locais em que a presença deles seja indesejável, como numa caixa de areia destinada para o lazer de crianças. Basta colocar algumas folhas de alecrim no local, pois eles não gostam do cheiro.

Aprenda a fazer o seu repelente natural:

Receita com cravo-da-índia

O cravo-da-índia contém uma substância chamada eugenol, que possui propriedades inseticidas contra mosquitos e formigas. Confira essa receita fácil de fazer:

Ingredientes:

500 ml de álcool de cereais
10 g de cravo-da-índia
100 ml de óleo de amêndoas dermatológico

Modo de preparo:

Junte o álcool e o cravo-da-índia em um pote opaco, escuro, com tampa. Deixe-o fechado e sem contato com a luz por quatro dias. Depois desse período, mexa bem a mistura duas vezes por dia, uma vez de manhã e outra à noite. Por fim, coe e acrescente o óleo corporal, agitando ligeiramente. Coloque o repelente num recipiente spray, que pode ser comprado em farmácias homeopáticas e lojas de artesanato, e aplique na pele. Esse repelente atua por até quatro horas. Ao aplicar, evite o contato com os olhos e com machucados na pele e aplique somente três vezes ao dia. E lembre-se: de acordo com a Anvisa, não é recomendado que crianças com menos de dois anos façam uso de repelentes.

Receita com citronela

A citronela é uma potente aliada na proteção contra os pernilongos e outros insetos. O óleo essencial que é extraído dela e que é a base dessa receita possui 80 componentes repelentes, entre eles o citronelal, geraniol e o limoneno. Se você tiver um difusor de água, deixe-o em ambientes de até 16 m² e pingue três gotas de óleo essencial de citronela na água a cada cinco horas. Isso também ajudará a manter os pernilongos afastados. Outra opção é fazer velas caseiras de citronela e deixá-las acesas nos cômodos: além de ser uma alternativa ecologicamente correta, a sua casa estará protegida e com um aroma agradável, semelhante ao aroma do eucalipto.

Ingredientes:

150 ml de óleo essencial de citronela
300 ml de óleo de amêndoas dermatológico

Modo de preparo:

Reúna todos os ingredientes e misture bem. Por fim, lembre-se de armazenar a mistura em um recipiente escuro e evitar o contato dela com o sol. Você também pode usar outras quantidades, desde que sempre seja mantida a proporção de duas partes de óleo de amêndoas para uma parte de óleo de citronela. As recomendações de aplicação desse repelente são as mesmas do anterior.

Para bebês e crianças

Um ótimo repelente caseiro para bebês, a partir de 2 meses de vida, é o creme hidratante com gotas de complexo B.

Ingredientes:

1 embalagem 150 ml de hidratante dermatológico
20 ml de complexo B em gotas

Modo de preparo:

Num recipiente de vidro misture muito bem o conteúdo de cada uma destas embalagens e depois a guarde novamente no frasco do hidratante.

Como usar:

Aplique em todas as áreas do corpo expostas ao mosquito, diariamente, de 2 a 3 vezes por dia. O complexo B possui um aroma que afasta os mosquitos, prevenindo suas picadas. Mas uma forma de complementar este tratamento caseiro é acender uma vela de citronela, que também é um excelente repelente natural.

Ambientes protegidos

Outra solução para acabar com estes hóspedes indesejados é utilizar aquele aparelhinho elétrico que comprados no supermercado, e que a maioria tem em casa. Porém, com pastilhas naturais.

Ingrediente:

Cascas de frutas (limão, laranja ou tangerina)

Modo de preparo:

Recorte um retângulo da casca da fruta em um tamanho que caiba no vão do aparelho. Você pode usar um refil já utilizado como medida. Encaixe e plugue na tomada. O aquecimento vai liberar o ácido cítrico, que repele os insetos. E você terá uma noite tranqüila. \o/

Contra a coceira

Porém, se o mosquito já pegou você e deu com aquela coceira, a solução é molhar o local com um pouco de água e esfregar sal de cozinha. A coceira alivia na hora.

A coceira é causada pela saliva do mosquito, um anticoagulante. Isso faz com que o nosso corpo reaja produzindo histamina, criando uma ligeira coceira ao redor da área mordida. Para as pessoas que são mais sensíveis à picada de mosquito, o tempo de cura pode ser mais longo do que para as pessoas menos sensíveis.

Fontes: Portal eCycle – www.ecycle.com.br, De colher para colher - www.decolherpracolher.com.br, Tua Saúde -  www.tuasaude.com, Anvisa – www.portal.anvisa.gov.br

X